Carta aos Estudantes


A época de prestar vestibulares é massacrante para a maioria dos estudantes. São muitas horas de estudos e o estresse diário vai triturando, aos poucos, o aluno que busca por sua vaga nas melhores universidades do país. Muitos reclamam da pressão exercida pelos pais, pelos professores, pelos amigos ou pelo próprio momento em si e alguns sentem dificuldade em lidar com os desafios que essa fase apresenta.

Trabalho com vestibulares há mais de 25 anos e é uma fascinante experiência ver o crescimento escolar e pessoal em meus alunos. Vocês são obrigados a ganhar maturidade, rever tudo o que aprenderam até então e são apresentados a uma competição com regras nem sempre justas: os vestibulares.

Para a maioria dos cerca de nove milhões de jovens que todos os anos prestam vestibular no Brasil, os dias – e até os meses – que antecedem as provas são um período estressante. É a dúvida quanto à profissão a escolher, é o desgaste das horas de aula em cursinhos ou em de estudos em casa, é a pressão da família para que se consiga a sonhada vaga na faculdade. Enfim, é “muito para a cabeça” e nem todos sabem lidar com as situações que lhes são apresentadas.

Sendo assim, é preciso descarregar a tensão – exercícios de meditação, um pouco de lazer, atividades culturais e atividades físicas ajudam. Chorar, de vez em quando, não faz mal a ninguém. Carências e privações extremas não levam você a lugar algum. E é por isso que escrevi este livro: para ajudá-lo a encontrar os melhores caminhos dentro dessa jornada.

Já começo com um pensamento: neste ano, os pobres de espírito, de vontade e de sonhos não vencerão seus desafios. Aqueles que não fizerem um bom planejamento, também não! Porém, ano de vestibular não significa ano de sofrimento, de restrições e de abdicação sofrida para conseguir o sucesso. Há alunos que deixam de lado amigos, prazeres, paixões, família, vontades e maltratam a saúde com problemas de insônia, gastrite, dores de cabeça. E sabe o que eles recebem? Responda você mesmo: qual o prêmio para quem fica em coma durante um ano, sem almoçar com a família, sem sair com os amigos, sem sorrir? Se você terá de abdicar de alguns prazeres? Possivelmente. De todos? Não. Mesmo vestibulando, você precisa VIVER.

Este ano, para o bem ou para o mal, você será julgado pelo seu resultado, fruto do desempenho que conseguirá com seu esforço e dedicação. E essa fase deve ser feita de um modo gostoso, sem grandes crises – sejam físicas ou psicológicas –, com estratégias, com organização de estudos, de tempo e de espaços. Você já sabe qual é o objetivo a ser alcançado. Quero mostrar a você como é possível fazer.

Como orientador de estudos, quero apresentar para você como organizar e autogerir a sua vida de vestibulando, apresentando metodologias que, com certeza, irão potencializar seus resultados.

Neste início de jornada, gostaria que você se lembrasse de seus pais ou de pessoas especiais e, portanto, queridas, que abdicaram de muita coisa por toda a vida, no investimento diário em amor e dedicação para que um ser especial como você chegasse à porta da faculdade. Agora é a hora e é com VOCÊ.

Vamos definir os seus objetivos pessoais, não os de outrem. Vamos observar os desafios e pensar como superá-los. Vamos criar, juntos, a história de sucesso mais importante que já existiu: A SUA !



“É preciso fazer força,

mas alguns conseguem ser infelizes na vida...”

(Nuno Cobra – consultor de qualidade de vida e ex-preparador de Ayrton Senna)



“Não desprezes o que contarem os velhos sábios,

mas entretém-te com suas palavras, pois é com eles que aprenderás

a sabedoria, os ensinamentos da inteligência...”

( Provérbios 8:9-10)




Tags:

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square